O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas




Talvez você não tenha lido o livro O Conde de Monte Cristo, mas com certeza já ouviu falar do filme, certo? Ele já passou diversas vezes na tv aberta e inclusive por eu AMAR o filme, fiquei com muita vontade de ler o livro.

Segue abaixo o trailer do filme para refrescar as memórias alheias:



Resumindo Edmond Dantés é um pobre homem honesto e amoroso que se torna vingativo após ser despejado injustamente numa prisão. Anos depois após conseguir fugir da prisão ele encontra um tesouro e passa a se chamar Conde de Monte Cristo, logo em seguida voltando para a França para se vingar das pessoas que o traíram.

Quando retorna, descobre que um de seus traidores não só está bem de vida, como se casou com sua antiga namorada Mercedes, de quem fora noivo antes de ser preso.

Nesse aspecto tanto o livro, quanto o filme são bem parecidos, e até essa parte da história o filme é bastante fiel, porém quanto mais se aproxima do desfecho, mais as mudanças de enredo se tornam perceptíveis.

Por exemplo, o livro tem muito mais personagens além dos mostrados no filme e o Edmond do livro é muito mais frio e calculista, focado apenas em sua vingança. Tanto que diferente do que ocorre no filme, quando Mercedes revela que sabia o tempo todo quem ele era, ele não se mostra chateado por ela ter se casado com seu inimigo, ou ainda apaixonado como antigamente.

Isso é algo que me deixou decepcionada, como boa shipper eu curtia a relação dos dois no filme e esperava ver mais no livro, porém acontece justamente o contrário.

ALERTA DE SPOILER:
No livro Mercedes e Edmond não ficam juntos e Albert não é filho dele.

No livro após se vingar de todos que o prejudicaram, Edmond vai embora da França sozinho e deixa apenas uma frase que termina o livro:

"O segredo é ter fé e esperar."

O livro é muito bem escrito e a leitura prende, logo apesar de não ser o romancezinho que eu estava esperando, o livro é bom. Porém ainda prefiro o filme por causa do ship


Para quem se interessar fica a dica de clássico que vale a pena.

Na amazon o livro impresso está bem carinho porém pra quem paga Kindle Unlimited, pode ler DE GRAÇA. Segue aqui

As brumas de Avalon - Marion Zimmer Bradley





Olá pessoal turubom?

Depois de anos terminei de ler essa saga (são 4 livros) e resolvi asisstir também o filme novamente para fazer uma resenha completa da história.
Começarei falando do livro primeiramente, já que é o assunto do blog néhm?

A sinopse do livro diz:

Por séculos, as lendas arturianas povoaram o imaginário de leitores de todo o mundo. As brumas de Avalon é considerado por muitos a versão literária definitiva do mito e muitas gerações de mulheres se deixaram arrebatar pela escrita envolvente de Marion Zimmer Bradley.
Pelos olhos de mulheres complexas e poderosas como Morgana das Fadas, Viviane, a Senhora do Lago, Igraine, Morgause e Gwenhwyfar, os reinos de Camelot e de Avalon são revisitados neste clássico, repleto de magia, sensibilidade e intrigas.


Resumidamente, "As brumas de Avalon" é uma versão da lenda do Rei Arthur contada sob a perspectiva das mulheres da vida dele: a esposa, a irmã e a tia tendo como pano de fundo principal a luta religiosa entre os pagãos adoradores da Deusa da terra e os cristãos que aos poucos dominam a Bretanha.

Considero um livro maravilhoso, super bem escrito, com personagens tocantes, e personagens fortes especialmente Morgana (minha preferida) e Viviane, sua tia e mentora.

Avalon nada mais é que um lugar mágico oculto por Brumas onde moças se tornam sacerdotisas em prol da Deusa que aos poucos perde seu espaço e seus adoradores devido a chegada dos cristãos. Tendo isso em mente Viviane a Senhora do Lago e mais alta sacerdotisa prepara um plano para unificar o povo novamente tanto os cristãos quanto os pagãos: ela prepara Morgana para ser sucessora e Arthur seu irmão, o rei que unificará o povo.

No entanto, Arthur se casa com Gwen (no filme se chama Guinevere), uma princesa cristã extremamente irritante que o faz renegar o juramento que fez a Avalon pois acredita que o pecado de "adorar a Deusa" seja o responsável por ela nunca ter concebido um filho.

Aos poucos Arthur se deixa levar cada vez mais pelos cristãos a fim de evitar guerras, para desgosto de sua irmã que deseja que ele cumpra com sua promessa.

O livro é uma ótima fonte de informação sobre a antiga religião, também conhecida como bruxaria natural e também uma ótima forma de perceber como o cristianismo foi usado para aprisionar as mulheres já que as sacerdotisas eram mulheres cultas e livres.

Não tem como eu falar mais sobre a história sem dar spoilers, então vamos parar por aqui e comentar sobre o filme:

A primeira vez que vi eu achei o máximo, por ter Anjelica Houston como Viviane e também porque eu não tinha lido o livro ainda e não tinha como perceber o quão impreciso ele é.

No começo ele até é bem semelhante ao livro original, porém de forma bem resumida, é claro, mas conforme a história vai se desenrolando o filme mistura vários acontecimentos e modifica outros que são cruciais me deixando com um certo ranço. Masss se você quiser um vislumbre da história e também tem assim como eu uma crush na Anjelica, veja o filme. Se gostar do filme, não perca tempo e leia logo esse clássico maravilhoso.

Ele está disponível na Amazon, clique aqui.

E quem já leu, por favor compartilhe suas opiniões :D

Por hoje é só pessoal.

Skoob

segue abaixo o trailer do filme



Uma reflexão sobre Livros

Depois que os livros se revelaram para mim, sempre sonhei em ter uma biblioteca. Mas pensava nisso como uma coisa para quando eu tivesse minha própria casa e um cantinho só deles. Contudo, comecei a perceber que uma estante no quarto não era nada mal enquanto o arranjo de morar sozinha não vinha. 

Muitos anos se passaram e desde então, a compra compulsiva de livros me fez comprar muita coisa. Hoje entendo que minha ideia era juntar todos os livros do mundo. Não importava muito se eu gostava, se queria mesmo ler; tinha que ter todos, novos velhos, inteiros ou caindo aos pedaços. E além disso, todas as edições e em todas as línguas. Talvez fosse uma forma de correr atrás do prejuízo de não ler desde criança. Obviamente não existe muita lógica nesse comportamento, mas não me dei conta disso por tantos anos. 

Às vezes coisas pequenas podem causar reflexões gigantes dentro de nós. Para mim foi um tópico num grupo do facebook que perguntava "O que é mais importante para você, o texto ou a presença física do livro?". Esse texto falava sobre a ideia que temos de que o livro físico vale mais que o digital. Talvez não tenhamos parado para analisar, mas temos aquela ideia de que o livro físico vale mais do que o digital e, sendo assim, não estamos considerando o trabalho do autor e sim o da gráfica. Falava também sobre o quanto investir em livros digitais podia desentulhar nossa vida e, finalmente, sobre as tantas pessoas que tem montanhas de livros que nunca saem da prateleira para serem lidos.

Como disse, isso me causou uma grande reflexão. Parei para analisar que, eu só precisava ter os livros que eu realmente gostava, não havia o menor sentido comprar livros que eu não tinha intenção de ler, só para tê-los na estante. Me senti envergonhada. Naquele momento também percebi também que, a importância dos livros, está muito além da presença física deles. O texto, as palavras, tem sua própria força. E hoje em dia, eles não precisam mais estar acomodados na nossa estante. Para algumas pessoas, como eu, eles podem estar simplesmente armazenados no nosso leitor digital mesmo. 

O princípio do minimalismo*, de não ter mais coisas do que você precisa, vale nesse contexto. Me livrar de coisas que ocupam espaço e sobrecarregam minha vida, me causa grande satisfação. Ver o espaço livre, a facilidade com que as coisas ficam mais arrumadas, me traz uma felicidade imensa. Já tinha descoberto isso com outras coisas, como roupas e calçados, mas descobri que poderia passar meus livros por essa peneira também. E foi assim passei a me desfazer de vários volumes. Qualquer leitor que se prese sofre ao pensar em se desfazer de seus livros, mas garanto que foi libertador. 

É obvio que o que é necessário ou básico é diferente para cada um e, falar sobre desapego de livro com apaixonados por livros é complicado. Mas não proponho aqui que você troque todos seus livros físicos por digitais, afinal, nem a minha estante ficou vazia. Sugiro apenas uma reflexão sobre o é realmente importante para você. Você realmente tem que comprar tanto? Você realmente prefere livros físicos? Será que um leitor digital não vai simplificar minha relação com a leitura? Você realmente está lendo todos os livros que compra? Não se sinto obrigado a ostentar uma estante bonita com livros que você nem consegue dar conta de ler só para mostrar que é bom leitor. Você não precisa provar nada para ninguém.  

Todas essas coisas parecem coisas óbvia de se dizer, mas eu mesma não tinha pensado sobre isso antes. E, como isso fez uma mudança que considero positiva em mim, espero que possa fazer por você também.

* O minimalismo é uma corrente artística que só utiliza elementos mínimos e básicos. Por extensão, na linguagem corrente, associa-se o minimalismo a tudo aquilo que tenha sido reduzido ao essencial e que não apresente nenhum elemento sobrante o acessório. Fonte: https://conceito.de/minimalismo

Frankenstein ou Prometeu Moderno - Mary Shelley

Oi gente!
Hoje vou falar sobre Frankenstein. Esse livro que já tem um tempinho que li, mas como eu ando meio preguiçosa pra resenhar tudo que leio, só estou falando dele agora.

Primeiramente quero dizer que eu sempre tive curiosidade de ler esse livro, por ser um clássico e por ser escrito por uma mulher numa época em que mulheres não faziam muito além de casar e procriar.

E para aumentar minha curiosidade sobre ele, vem a Editora Darkside e lança essa edição de babar que particularmente eu acho de orgasmo literário, como todos os livros por ela publicados aliás.

Essa edição conta com mais alguns contos da Mary Shelley, na mesma temática de mortos-vivos e com uma pequena biografia de Mary e de como ela teve a ideia de escrever esse livro.

Pasmem! Essa história foi esboçada por uma Mary Shelley de DEZESSETE FUCKING ANOS!

Olha só uma fotinho interna do livro, se não é uma preciosidade.
Sobre a história do livro especificamente, eu conhecia só o que é mostrado nos filmes, séries e afins, logo não tinha muita ideia do que esperar e fiquei positivamente surpresa. Normalmente eu não sou fã de livros com longas páginas narradas, mas esse livro tem uma sensibilidade tão intensa que não senti falta de diálogos. Ele nos faz em alguns momentos amar e odiar com a mesma intensidade, tanto a criatura quanto seu criador. Fiquei muito tocada pela escrita de Mary Shelley e li o livro rapidamente, pois era difícil largar.

Os pequenos contos depois do término de Frankenstein também são bons, mas talvez justamente por serem contos não tem a mesma intensidade da história principal, mesmo assim também não deixam de ser interessantes.

Enfim, recomendo a leitura, porque além de ser um clássico, é um dos bons. #ficadica

E se quiser adquirir essa edição maravilhosa, que está em promoção e com frete grátis na Amazon use esse link porque  ganho umas migalhinhas da titia amazon que está dando desconto e frete grátis nessa belezinha.<3>

Por hoje é só ;)

Amor nas Alturas - C. Caraciolo


Ahh o que falar desse livro?
Faz tempo que ele está na minha lista e uma certa oferta de uma certa fotografia (vc sabe qual né dona moça? haha) oferecida pela autora apressou minha leitura e colocou esse livro na frente dos outros.

E sabe o resultado?
MANO DO CÉU QQ É ISSO EU JÁ QUERO IR PARA O PRÓXIMO!

Sim, porque esse livro faz parte de uma trilogia e dona Clarita faz questão de deixar no final do livro, o primeiro capítulo da sequência pra nos deixar com ainda mais vontade de correr pra ele.

Mas de quê se trata esse livro tão maravilhoso?

Então, a protagonista desse livro se chama Helena (mas ela prefere Lena ok?) uma estilista de moda, ela prefere costureira,  dona de uma marca chamada Wings, que foi convidada para fazer as roupas da turnê de uma banda famosa. O detalhe: o segurança da banda é um amor do passado por quem ela teve uma crush, passou uma noite e ele ajudou ela a superar alguns traumas do passado.

Sendo assim, Lena segue para esse trabalho toda empolgada com a possibilidade de rever Gabriel, o crush gostoso do passado e então basicamente Gabriel, o segurança e Lena a costureira, fazem amor sexo nas alturas por vários países e alguns meses.

Porém até quando eles vão conseguir manter o relacionamento casual, já que o contrato de Lena está prestes a terminar?

Essa dúvida fica para ser respondida no próximo livro da sequência, que provavelmente irei devorar tanto quanto esse.

Para quem curte um romance leve e ao mesmo tempo picante, esse livro é maravilhoso. Eu ri praticamente o tempo todo e não conseguia largar ele. Fazia tempo que eu não passava um dia inteirinho lendo, sem ser dentro de um avião/ônibus ou num aeroporto.
Lena é uma protagonista maravilhosa, engraçada, independente, linda e com um fogo que socorro. Pobre Gabriel!
Além disso o livro também tem uma ótima trilha sonora disponível no Spotfy aqui

E quer outra notícia boa? Esse livro custa apenas R$5,99 na Amazon e está disponível para Kindle Unlimited.
Você não tem Kindle? Não tem problema, o aplicativo pode ser baixado e usado para ler em tablets, pcs, notebooks e celulares.

Então, anda se joga aqui: COMPRE SEXO OPS AMOR NAS ALTURAS AGORA

Ainda está na dúvida? Fica ai uma foto do segurança molha-calcinha, que também é como eu chamo esse livro


E se você é daquelas que odeia ler no computador, miga tá esperando o que pra comprar um Kindle? 
A versão mais simples sai por R$299, deixa de ser sovina e compra um :D
Muitos livros bons e baratos te esperam! Todo dia tem alguma promoção de livro grátis, fiquem ligados.

Por hoje é só e digo de novo: esse livro foi uma das melhores maneiras nas quais eu já investi 5 reais. Que venha "Sorriso Secreto" agora, porque preciso da minha dose diária de #GabLena 



Veneno - Kate Pinborough

Esse livro tem a seguinte chamada: "Repense seus vilões" 

Isso me fez pensar que seria uma releitura dos contos de fada na qual simpatizamos com o vilão, a estilo do filme Malévola, por exemplo, logo comprei toda animada e mais animada ainda por saber que era uma trilogia.

No entanto confesso que minhas expectativas não foram superadas, na verdade nem chegaram perto disso.

Esse livro prova que definitivamente ser best-seller não significa livro bom. (Como se já não soubesse disso, depois de 50 tons, Crepúsculo etc etc...)

O que o livro promete: uma versão picante da história da Branca de Neve escrita de forma sarcástica.

O que o livro oferece: cenas picantes jogadas sem contexto e personagens inverossímeis. 

Tudo bem que é um livro curto de apenas 200 páginas, mas nessas 200 páginas não consegui simpatizar ou torcer por nenhum personagem.

Uma das únicas coisas que achei interessante é que a autora faz uma mistura de contos, como na série Once upon a time, pois fazem parte dessa história personagens de outras histórias também.

O livro também tem um final bem surpreendente, não posso negar, nisso ele cumpre o que promete, quando diz que não existem finais felizes.

Mas de resto, esse livro é bem dispensável e não me deixou com vontade de ler os próximos, sinto informar. É uma pena, porque tinha potencial.

Agora vamos aos spoilers, se não quiser saber, não continue lendo, embora vai fazer mais sentido o porque do meu desgosto com esse livro:

A Rainha é uma jovem de 24 anos que se casou a contragosto com o Rei, pai da Branca de Neve, mas usa de sua beleza para fazer o que quiser com o Rei e sente inveja de Branca de Neve, por isso quer casa-la a todo custo, para se ver livre dela. Não diferindo muito da história original que conhecemos da Disney, exceto pelas cenas de sexo presentes no livro.

ALERTA DE SPOILER
O caçador contratado pela Rainha, ao vê-la fica deslumbrado com sua beleza e antes das negociações, na mesma cena em que os dois se conhecessem, rola uma cena de sexo, assim DO NADA. Ok, todo mundo sabe que eu adoro livros picantes, mas que tenham contexto lógico né? A Rainha supostamente toda cheia de si iria transar com o caçador só porque ele elogiou sua beleza? Tenho Minhas dúvidas.

A personagem Branca de Neve é uma mocinha apenas quatro anos mais jovem que a Rainha, mas que parece muito mais nova (segundo a Rainha) por ser ingênua, bobinha e só querer se divertir com seus amigos anões, sem pensar em casamento. Isso faz pensar que nossa mocinha ainda é uma jovem virgem, o que torna muito esquisita a cena descrita a seguir:

ALERTA DE SPOILER
O caçador encontra Branca de Neve tomando banho nua no rio e deslumbrado com sua beleza desiste de mata-la pedindo que ela vá embora, se esconda e ele levará para a rainha o coração de um veado dizendo ser o dela.
Então Branca de Neve SE OFERECE nua para o caçador, não se sentindo nenhum pouco acanhada com sua nudez na frente dele e pede que ele a toque como tocou a rainha. E os dois se beijam, dando a entender que ele fez sexo com Branca de Neve também.
Vocês acreditam que uma mocinha bobinha e virgem faria isso com um homem desconhecido por mais bonito que fosse? Sei não.

Continuando o show de bizarrice temos o príncipe que se apaixona pela Branca de Neve já sob encanto da maldição. Ele a conhece assim e fica conversando com ela, encantado por sua beleza, e convence os anões a permitir que ele a leve para seu reino, para protege-la da rainha.

No caminho os cavalos se assustam, a carrugem acaba virando e Branca de Neve acaba acordando, pois não tinha engolido a maçã, que estava apenas presa em sua garganta. Quando acordou, o príncipe pediu Branca em casamento, completamente animado, dizendo que se apaixonou por ela enquanto ela dormia.

e ALERTA DE SPOILER
Ela aceita! A moça que não queria se casar o livro inteiro, aceita se casar com um príncipe que acabou de conhecer PORQUE ele disse que já a conhecia e estava apaixonado.

No entanto o príncipe percebe que a princesa não era nada do que ele esperava pois ela gosta de ir em bares, bebe mais que ele e tinha experiência sexual, e o príncipe acaba se tornando o verdadeiro vilão do livro.

Não darei mais spoilers porque se alguém ficar curioso e quiser ler esse livro, a melhor parte é o final e não vou estragar a única cerejinha desse bolo.

Pelo final, dou 3 estrelas, sendo bem generosa.

Se alguém já leu e discorda, por favor comente :D 

Jantar Secreto - Raphael Montes



Vim aqui falar deste livrão da poha. A primeira vez que ouvi falar dele, nem tinha me dado conta do nome abrasileirado do autor e já fiquei super louca para ler só pelo enredo.
Depois que vi que era nacional então, o coração bateu mais forte demais, porque como leitora e aspirante a escritora me dá 300 tipos de nervoso essa gente com mimimi de livro nacional. Foi o primeiro que li deste autor e procurarei pelos outros agora. Porque...

TEM LIVRO NACIONAL BOM SIM OK?

E tem muito livro internacional que não serve nem pra limpar o chão também, sem querer citar nomes, mas já citando Cinquenta Tons cof cof...

Sem mais delongas vamos falar sobre o livro tentando não dar spoiler:

Um grupo de universitários prestes a serem despejados porque um deles usou o dinheiro do aluguel indevidamente tem uma brilhante ideia: vamos oferecer jantares no nosso apê, cobrar bem e com isso pagar a dívida com a imobiliária.

Tinha tudo para dar certo, afinal, um deles era um respeitado e vaidoso chef louco para por em prática seus pratos mirabolantes. BUT

O mesmo coleguinha que gastou o dinheiro do aluguel, acrescentou um pequeno detalhe nos jantares secretos que eles ofereceriam: eles serviriam carne humana.

Por essa prévia, eu jurava que o livro ia ser meio tenso, clima da série Hannibal e tal MAS para minha surpresa eu nunca ri tanto na vida.

Acreditem, o livro sabe ser cômico e prender a atenção num nível em que eu li ele praticamente em dois dias.

Não me levem a mal, canibalismo não é engraçado, engraçado é como a situação toda foi mostrada.

O livro é recheado de humor negro e críticas sociais fodas. Lá pelo final o clima começa a sair da comédia para seguir a tensão que era esperada desde o começo e o final é bem surpreendente.

Resumindo, super super recomendo.

Você vai rir, você vai roer as unhas, você vai ficar preocupado e com certeza não vai conseguir largar esse livro até não terminar.

Plus: ADOREI o fato das conversas de Whatsapp terem sido transcritas no livro, exatamente como se fosse um print do celular, inclusive com direito a memes. Foi a primeira vez que vi essa informalidade em livro e aprovei. 

Enfim, se joguem. É uma delicinha. 


A Livraria Mágica de Paris - Nina George

O livreiro parisiense Jean Perdu sabe exatamente que livro cada cliente deve ler para amenizar os sofrimentos da alma. Em seu barco-livraria, ele vende romances como se fossem remédios. Infelizmente, o único sofrimento que não consegue curar é o seu: a desilusão amorosa que o atormenta há 21 anos, desde que a bela Manon partiu enquanto ele dormia. Tudo o que ela deixou foi uma carta — que Perdu não teve coragem de ler. Até um determinado verão — o verão que muda tudo e que leva Monsieur Perdu a abandonar a casa na estreita rue Montagnard e a embarcar numa jornada que o levará ao coração da Provence e de volta ao mundo dos vivos.

Esse livro me enganou. Logo nos primeiros parágrafos eu já pensava que esse seria o livro da minha vida, daquele tipo de livro sensível, com linguagem poética que eu vivo procurando. Eu adorava cada palavra e queria citar cada frase. Era uma mistura de Amelie Poulain com Amor em Minúscula. Era um deleite literário. Mas infelizmente, não durou muito. 

Sem muita indicação de que isso aconteceria, a linguagem poética tomou um rumo sexual que não era nada do que eu esperava. Não que isso seja necessariamente ruim em um livro, mas foi num momento muito inesperado, e parece que realmente não coube naquele contexto. Tentei passar por cima disso, mas me deixou incomodada. Parece que o clima se perdeu ali.

Depois o livro segue  e a gente "meio que acostuma" com esse ritmo, ao mesmo tempo que ele meio que fica mais leve e consegue ser realmente poeticamente sensual - o que talvez fosse a intenção desde o início - Então a história segue com personagens improváveis, acontecimentos improváveis, amizades improváveis e um rumo que não tem como dar em nada demais, para terminar bem depois do que deveria com perguntas que não foram bem respondidas. 

É uma pena pois a ideia era maravilhosa e, no começo, parecia que seria uma história deslumbrante. Mas logo se perdeu e deixou muito a desejar. A vontade que dá é de fazer a autora reescrever se apegando mais a proposta original da farmácia literária, que seria fantástica se tivesse sido mais usada, mas que quase não apareceu e por um tempo ficou até esquecida na trama toda. Ao invés disso, algumas indicações de livros foram receitadas ao final - e que não foram usadas no livro - além de algumas receitas de pratos que apareceram no livro. (Oi?)

Dizer que não gostei dessa história é impossível, afinal ela terminou de uma forma que deixa uma sensação gostosa de calmaria e coração tranquilo; mas não posso deixar de pensar que foi sim, mal organizada e poderia ter sido infinitamente melhor. 

Projeto Perca um Livro

Você já ouviu falar no Projeto Perca um livro? Trata-se de uma iniciativa que existe no mundo inteiro e consiste em "perder" um livro em algum lugar como bancos de praças, transporte público, aeroportos ou espaços público em geral, onde alguém possa encontrá-los para ler. O esperado é que a pessoa leia e perca o livro novamente e, dessa maneira, esse livro segue servindo de incentivo à leitura e entretendo outras pessoas de forma gratuita.

Hoje tivemos reunião do Grupo Leitores Sulistas, onde nos encontramos para trocar, vender e falar sobre livros. Levei vários livros para doação e os que sobraram, foram "perdidos" nos bancos do Mercado Central em Pelotas. A ideia era deixar na Praça onde sempre nos reunimos, mas o perigo iminente de chuva nos fez pensar que um local coberto seria mais seguro.

Grupo Leitores Sulistas
Inicialmente pensei que todos os livros seriam doados durante o encontro e, por isso, não preparei nada para marcar os livros e nem sequer anotei direito quais seriam doados. Na última hora me lembrei de marcar com tags do blog, do grupo e do projeto: #MeioLiteral #LeitoresSulistas e #PercaUmLivro. Dessa maneira espero que quem achou os livros, consiga chegar direitinho até a informação de onde esses livros vieram e qual o propósito do projeto.

Dentre os Livros Perdidos estavam
  • A vida Secreta no Sena - Mort Resenblum
  • Iracema - José de Alencar
  • Relato de um Amor - Gabriel Padillla
  • Dama de Vermelho sobre Fundo Cinza - Miguel Delibes
  • O primo Basílio - Eça de Queiroz
  • Ponto Pé de Flor - Clara Pinto Correia
  • Apenas uma sombra da felicidade - Uwe-Karsten Heye
  • O segredo do quadro - Carey Roberts
  • Como Seduzir um Duque - Kahryn Caskie
  • Coração de Guerreira - Deborah Simmons
  • Perguntas Perfeitas, Respostas Perfeitas
  • Prabhupãda, Um santo no Século XX

A Coisa - Stephen King

Vou retomar minhas postagem nesse blog falando de "A coisa" que Manuela Monjardim tem indicado nos últimos dez anos da nossa amizade. hahaha

Por ser um livro com quase 900 páginas eu sempre acabei adiando a leitura, até que resolveram fazer um novo filme dele.

Então vamos lá, vou tentar falar do livro sem dar spoilers, já deixando claro que algumas pessoas provavelmente vão discordar do que eu vou dizer Manuela mas gosto é gosto né?

Primeiramente quero dizer que foi meu primeiro livro do Stephen King e que o livro me surpreendeu com relação ao plot: ele é muito mais sobre a amizade entre sete crianças do "Clube dos perdedores" que sobre "A coisa" em si.

Os personagens são cativantes, a história é bem desenvolvida e tem muitas passagens até mesmo poéticas que fazem a gente ficar "awwn" num livro do gênero terror.

Agora vem a bomba que fará com que eu seja apedrejada por Manu haha:

Achei o livro maravilhoso porém não gosto da maneira como ele é escrito.

Essa necessidade do King de descrever todos os lugares por onde eles passam, sobre a história de Derry, sobre parentes de personagens, enfim necessidade de detalhar tudo sobre tudo é meio cansativo e confesso que eu dava umas puladas na leitura pra não ficar entediada.

Por outro lado algumas coisas que eram importantes pra mim, que tivessem um desfecho mais bem descrito a respeito dos personagens principais ficaram sutis ou subentendidas. Mas isso é gosto pessoal meu. Eu gosto de descrição de sentimentos e a respeito dos personagens principais, de resto eu prefiro que seja sutil ou deixe para a imaginação ou quem sabe um próximo livro. "A coisa" esgota todas as descrições possíveis sobre Derry.

Uma coisa que concordo com Manu é sobre o filme não mostrar 1% da intensidade e maravilhosidade desta história que termina com um gostinho meio doce e amargo ao mesmo tempo. É como se eu tivesse me despedido de amigos de infância, queria mais sobre eles.

Outra coisa que me incomodou, é que a história não é linear. Como se passa em 2 tempos, quando os personagens são crianças e adultos, esses 2 tempos ficam acontecendo simultaneamente com muita frequência e exatamente no meio de acontecimentos importantes o que me deixou irritada porque quebrou aquele clima de tensão lendo. A sensação foi a mesma que estar no meio de um sexo muito bom e a pessoa resolve levantar no meio do clímax pra fazer um xixi.

Mas levando em consideração apenas a história eu achei o livro muito bom. Por esses detalhes citados porém não dou 5 estrelas, dou 4 e meia pq se tirasse muita descrição que pra mim foi inútil para o desenvolvimento da história, o livro poderia ter muito menos que 837 páginas.

Enfim, se você, como eu, prefere livros mais objetivos, leia. Os personagens são maravilhosos assim como suas histórias, mas prepare-se pra lengalenga. Se você gosta de descrição de tudo e de todos, leia porque você terá um orgasmo com esse livro HAHA